Social Icons

                        twitterfacebookrss feedemail

sexta-feira, 4 de março de 2011

Análise (Review) - Cabeçote Valvulado V55HD - Bugera - Amplificador de Guitarra

Teste do amplificador valvulado para guitarra Bugera V55HD na Central do Rock
Caros leitores,

mais uma vez estou de volta para um Review, penso eu, muito esperado por todos. Aproveito a oportunidade para desejar que todos aproveitem as festas de Carnaval de forma sadia e sem excessos. Pior que a ressaca, é a famigerada "ressaca moral", não é?

Pois bem. Desta vez falarei do cabeçote Bugera V55HD.

Para quem não conhece a marca, a Bugera foi adquirida pela Behringer (sendo hoje do mesmo grupo econômico), porém dedica-se exclusivamente à produção de amplificadores valvulados. Os amplificadores são todos feitos à mão e testados um a um. Pelo menos é o que anuncia-se no site da marca (www.bugera-amps.com). Lá você encontra até vídeos do processo de fabricação.

A construção do head é muito bonita e com visual bastante vintage. Aliás, como o fabricante anuncia, a linha V "captura o som dos anos 1960". A linha é composta pelos combos V22 e V55, além do cabeçote V55HD (HD de head).

Especificações do V55HD:

Controles: 9 (nove) - Clean, Gain, Volume, Bass, Middle, Treble, Master, Presence e Reverb.
Válvulas Pré: 3 (três) 12AX7
Válvulas Potência: 2 (duas) 6L6 em Push-Pull
Canais: 2 (dois) - Clean e Drive
Saídas: 4, 8 e 16 ohms
Alimentação: 120v quando importado direto pelo consumidor. Existem versões de 120-240v, porém são difíceis de encontrar no mercado.
Chassi: Aço
Entradas: 2 (duas) - Normal e Bright
Loop de Efeitos: Possui
Modo de Operação: Pentodo e Triodo
Potência Nominal: 55W RMS
Reverb: Digital/Eletrônico
Footswitch: Duplo (troca dos canais, on/off do Reverb)

Segundo informações do fabricante, o circuito foi baseado nos clássicos amplificadores americanos da década de 60. O que o fabricante quis dizer em outras palavras é que o circuito foi baseado nos famosos amplificadores Fender.

Dá pra notar a vocação timbrística americanizada pelas válvulas de potência (6L6) responsáveis pelo característico timbre estadunidense. Vou abrir um parêntese para falar das válvulas de potência e sua influência.

Quando Leo Fender (americano) fez seu primeiro amplificador ele usou válvulas 6L6, criando uma legião de fãs nos Estados Unidos e mundo afora. Jim Marshall (britânico) fez seu primeiro amplificador baseando-se no circuito Fender, porém substituiu as 6L6 por EL34 (pois esta última era mais fácil de encontrar na Inglaterra), fazendo os devidos ajustes. Em muitos circuitos as duas válvulas são intercambiáveis, necessitando às vezes algumas adaptações e ajustes de BIAS.

Contudo, não se trata da mesma válvula. Cada uma oferece características próprias ao som da guitarra. Enquanto a 6L6 tem graves reforçados e agudos moderados, a EL34 já possui mais agudos e médios bem gritantes produzindo um timbre mais aberto, bem na linha dos Marshall que tanto conhecemos.

Por causa disso, criou-se então duas referências mundiais de timbres: os amps americanos (6L6) e os amps britânicos (EL34).

Logicamente, o timbre do amplificador não depende exclusivamente da etapa de potência. Ele também será definido no circuito pré-amplificador, mas isto é um assunto para outro artigo.

Vamos falar do som então:

Para os testes usei uma Caixa 4x12 Crate de 120W. São quatro falantes com 30W de potência cada um. A guitarra foi uma Explorer Strinberg CLG-48 com 2 Humbuckers.

Inicialmente, deixei todos os controles de equalização em 12 horas (50%) e comecei os experimentos pelo canal clean.

O canal limpo é simplesmente maravilhoso. Se fosse possível, eu comeria o som produzido. Realmente desperta a área de prazer do cérebro.

O canal drive, oferece ganho médio. Não vá pensando que é um amplificador hi-gain. Mexendo na equalização dá pra tocar diversos estilos até os mais pesados. Para solos de Heavy Metal, principalmente no estilo shred, a gente sente falta de um empurrãozinho. O ideal é combinar com um pedal de overdrive (o Tube Screamer seria uma ótima opção).
Amplificadores valvulados, de regra, fornecem mais punch em altos volumes. Pensando nisto, a Bugera instalou uma chave Pentodo/Triodo. No modo triodo, é possível aproveitar a distorção da etapa de potência com menos volume. Os vizinhos agradecem (risos).

Analisando pelo meu gosto pessoal, também achei o canal Drive muito fechado e opaco. Acho que o fabricante, percebendo isto, instalou uma chave de mid boost, que na minha opinião foi indispensável para o canal Drive. Com a chave acionada o timbre fica um pouco mais aberto melhorando bastante na hora dos solos.

Os controles de equalização são bem discretos, não possuem uma atuação drástica no timbre do amp, de modo a manter sempre a pegada vintage do cabeçote. Isso pode ser bom ou ruim, dependendo do gosto pessoal do guitarrista. Aqueles que curtirem sons mais clássicos irão adorar.

Quanto ao acabamento e construção, é de impressionar a beleza do amp. Nota baixa para a questão do tamanho e peso. Com apenas 5 (cinco) válvulas, o head poderia tranquilamente ser mais compacto e leve.

O Reverb é razoável apesar de não ser de mola.

Pontos positivos: Destaca-se o custo-benefício, principalmente, se você mesmo importar o cabeçote. No exterior ele está custando cerca de US$ 350.00 (trezentos e cinquenta dólares). Com o dólar baixo e frete em torno de US$ 40,00 (quarenta dólares), mesmo com os impostos, o preço final ainda fica bastante atrativo. Com pouco investimento você terá um amplificador todo valvulado (exceto retificação) de nível profissional.
Também tem o canal Clean, que é um show à parte.

Pontos negativos: Basicamente posso destacar o tamanho (o head é enorme), e a falta de um Reverb de mola. Amps desta categoria merecem um Reverb superior. Não que o canal Drive seja ruim, mas é que o canal limpo é bom demais. A comparação fica difícil.

No geral, poderia concluir que este amplificador é muito melhor do que comentam por aí. Sua potência é adequada para a maioria das aplicações e seu timbre, principalmente no Clean é incrível.
O casamento perfeito com falantes vintage também poderá deixar o timbre ainda mais clássico.

NOTAS (de 1 a 10):

Design/Aparência: 10
Construção/Robustez: 9
Ruído: 10
Versatilidade: 7
Definição timbre: 9
Equalização: 9
Recursos: 9
Custo-benefício: 9

MÉDIA/NOTA FINAL: 9

PONTUAÇÃO: Péssimo (1-2), Ruim (3-4), Bom (5-6), Ótimo (7-8), Excelente (9), Excepcional (10)

Obs.: Vale lembrar que um equipamento cuja MÉDIA/NOTA FINAL fique acima de 6 pode ser considerado um equipamento satisfatório, e acima de 8 poderá ser classificado como de uso profissional.


Um abraço!


Elvis Almeida
Guitarrista - Endorsee Strinberg
www.elvisalmeida.com

PARA VOCÊ:
Gostou desta matéria? Leia mais na seção REVIEWS

Assine o boletim e receba atualizações por e-mail!

Digite seu e-mail aqui:


Fornecido por FeedBurner

50 comentários:

  1. O meu com 2 horas de uso queimou as duas valvulas 6l6, que foram substituidas e logo após uns 20 minutos pegou fogo em um conector... Se comprarem levem logo para um técnico e troquem esses conectores por soldas direto na placa, e troquem as válvulas do power que são uma bosta.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por participar amigo. Sobre o Bugera V55HD, você não é o primeiro a se queixar dos conectores. Pode ser que as válvulas originais se queimaram inclusive pelo fato de que os conectores esquentaram e começaram a oferecer resistência na polarização das válvulas do power. Com o BIAS alterado devido à resistência ocasionada pelo aquecimento, as 2 6L6 queimaram.
    A Bugera deveria reavaliar o uso destes conectores.

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo, pois bem, as válvulas BUGERA 6l6 queimaram antes desse conector pegar fogo, eu comprei um par casado da svetlana, foram com essas valvulas que ele pegou fogo... Levei em um técnico e me informou que queimou os dois resistores, que no circuito, ficam ao lado desse conector, os dois resistores foram trocados e o conector foi removido, agora estou esperando meu outro par de válvulas que encomendei chegar, mas estou com um medo tremendo de ligar esse amp com válvulas novas novamente... Será mesmo que foi quando pegou fogo que essa válvula queimou? Aquele ajuste de bias que vem no amp é realmente confiavel? Eu regulei para -47,4 volts.

    ResponderExcluir
  4. Veja as tensões corretas do BIAS no seguinte link (copie e cole no navegador): http://www.behringerdownload.de/_Bugera/manuals/ValveBiasInstruction/BUGERA_ValveBiasInstruction_2008-09-10_Rev.1.pdf

    Sobre o ajuste de fábrica ser confiável ou não, acredito que sim. Creio que você deu azar, pois o meu amp funciona perfeitamente há cerca de 1 ano. Não troquei nenhuma válvula ainda.

    Espero ter ajudado.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. O seu é 110 ou 220 volts? Esse link eu já havia acessado, tem várias regulagens, achei meio confuso então escolhi umas das tensões, que é .47,4 Volts

    ResponderExcluir
  6. O meu é 110 volts.

    As regulagens são diferentes porque as válvulas são diferentes.

    Aquelas com grade A são diferentes daquelas com grade B, C e assim por diante.

    O BIAS deverá ser regulado exatamente de acordo com a grade de sua válvula.

    Verifique a grade primeiro para depois fazer a regulagem de acordo com a tabela do link que te passei.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Como sei se minha valvula é grade A, B....? A marca é svetlana GC... Outra coisa, eu estou ligando meu amp com uma valvula só para tocar... Tem problema será?

    ResponderExcluir
  8. Só consultando a documentação do fabricante das válvulas para saber qual é a grade correta.

    O V55HD é um amplificador classe AB, portanto, não é possível ligar só com uma válvula. Isto irá danificar o equipamento.

    Atenciosamente,

    Elvis

    ResponderExcluir
  9. o que pode ter danificado ligando só com uma valvula? Chegou meu outro par de valvulas, estou com medo de ligar ele, e no site da svetlana é confuso, parece que o bias tem que ficar em -37 volts, achei isso muito estranho. Segue o link se puder me ajudar http://www.svetlana.com/pdf/svetlana/6l6gc-svetlana.pdf

    ResponderExcluir
  10. Ligar um amplificar AB (de duas válvulas no power) como é o caso do V55, com apenas 1 valvula conectada, pode queimar a própria válvula que ficou ligada como outras peças do Power, até mesmo o transformador de saída.

    O artifício de tirar válvulas do power para diminuir a potência só funciona no caso de amplificadores que possuem valvulas ligadas em paralelo, o que não é o caso do V55.

    Verificando os 2 documentos (Svetlana e Bugera) vemos que há uma discrepância quanto aos valores do BIAS.

    Faça o seguinte. Comece com o BIAS bem baixo, próximo dos 37V, depois vá aumentando progressivamente até os 44,3V (mínimo do manual da Bugera) e fique de olho se as válvulas irão ficar muito incandescentes a médios volumes.

    Se perceber que a cor está saindo do laranja claro para um laranja escuro (tipo avermelhado) ou está acessa demais como se fosse uma lâmpada, é melhor levar num técnico especializado.

    Por segurança, não deixe o amplificador ligado muito tempo, até ter certeza que o BIAS está bem ajustado.

    Você está em qual cidade? Se estiver próximo de São Paulo, conheço excelentes técnicos que podem te ajudar.

    Um abraço,

    Elvis

    ResponderExcluir
  11. Estou em Erechim/RS. Aqui na região não existe técnico que mecha com válvulados, por isso que estou com essa tremenda dor de cabeça, minhas válvulas acendem o filamento na cor laranja claro (entre -48 v e -55 v) estou deixando por ai para evitar que elas queimem... No escuro da pra perceber um azul claro na parte de baixo delas, e quando toco em volumes altos esse azul aumenta... Sobre tocar com uma válvula só, acho que foi por isso que umas das minhas válvulas bugera foi pro pau, quando ligo e deixo em stand by com ela, a mesma funciona tranquilo, quando ligo o amp sobe uma cor azulada muito forte e a placa que tem dentro da valvula fica toda laranjada ai eu desligo rapidamento o amp para não ter problemas. Outra dúvida, quantos amperes tem o fusivel que esse amp usa? Não consegui fazer a leitura, ai comprei um fusivel de vidro 6,5 amperes.

    ResponderExcluir
  12. Pois é... não é fácil te ajudar a distância... infelizmente tem coisas que só ao vivo mesmo para verificar.

    O fusível deverá ser de 2 amperes. O de 6,5 não irá proteger o equipamento.

    Um abraço.

    Elvis

    ResponderExcluir
  13. droga, o cara da eletronica falo que conseguiu ver e era de 6,5, maluco esse cara.

    ResponderExcluir
  14. Na página 16 do Manual tem as especificações para os fusíveis, onde consta 2A para o V55 de 120VAC.

    Até mais.

    Elvis

    ResponderExcluir
  15. eu estava olhando, o meu é 220 volts, e diz 2 tipos de fusiveis, o de 1 A e o de 500 mA.

    ResponderExcluir
  16. Então é de 1A... 500mA é para o V22.

    Até.

    Elvis Almeida

    ResponderExcluir
  17. Elvis outra coisa que notei, meu amp veio com uma microfonia aguda desgraçada quando comprei ele, e permaneceu depois de eu ter substituido as válvulas a primeira vez, agora depois que voltou do conserto, e com valvulas novas ele melhorou de mais o som e sem microfonia...

    ResponderExcluir
  18. E aí Robert, tudo bem?

    Pode ser que havia algum defeito de fábrica no Power.

    Amplificadores valvulados dão ruído do tipo apito, normalmente quando há algum defeito, ou quando os fios que conectam as válvulas estão soltos.

    Os fios que ligam as válvulas de potência, conduzem muita tensão elétrica, gerando altas capacitâncias parasitas.

    Se eles estiverem soltos ou mal colocados podem gerar ruídos que vão desde um zumbido até apitos do tipo microfonia.

    Como foi feito muitos reparos, troca de válvulas, soldagem dos fios diretos na placa, substituição de peças (resistores), fica difícil saber qual desses componentes estariam gerando os apitos.

    O importante é que o amp está funcionando e melhor que quando comprou.

    Um abraço.

    Elvis Almeida

    ResponderExcluir
  19. fiz o teste da lâmpada (liguei ela em serie em um cabo de força) e ela acendeu... Será que meu trafo ta com defeito?

    ResponderExcluir
  20. Olha amigo,

    acho que devido:
    a)aos inúmeros problemas que você já experimentou;

    b)à insegurança que você está sentindo com o seu amp; e

    c) os riscos que existem na manutenção de amplificadores valvulados devido às altas tensões;

    Recomendo que você envie o amplificador para um revisão com um técnico de renome, ainda que seja tenha que pagar o frete de ida e volta para a oficina especializada.

    São reconhecidos nacionalmente o pessoal da Tubeamps, da Alien e o Pedrone.

    www.tubeamps.com.br
    www.pedrone.com.br
    www.alienamplificadores.com.br

    Não sei te informar se eles ainda fazem manutenção ou estão apenas fabricando. Entre em contato com algum deles. Se não puderem revisar, eles poderão recomendar outro de confiança.

    Em Santa Catarina também tem o pessoal da Bruschi Amps. Também não sei dizer se estão fazendo manutenção ou não. O site é www.bruschiamps.com.br, se fizerem está bem mais próximo do RS, o que significa uma economia com o frete.

    Abraço,


    Elvis Almeida

    ResponderExcluir
  21. Elvis, entre o meteoro mgv 30 e o bugera v55hd (tenho uma caixa com celestion vintage 30), qual seria a sua escolha? E pq?

    ResponderExcluir
  22. Primeiramente, obrigado por participar de nosso portal.

    Sobre os equipamentos, destaco que ambos os amplificadores possuem ótimo custo-benefício.

    Quanto ao timbre é uma questão de gosto mesmo. As válvulas e projetos eletrônicos influenciam sobremaneira o timbre. No caso do Meteoro, utiliza as válvulas 6BQ7 no pré, enquanto o Bugera usa as tradicionais 12AX7. Na etapa de potência ambos possuem válvulas 6L6. O ideal seria você experimentar o Bugera para ver qual você prefere.

    Durabilidade tem sido uma queixa comum aos usuários do Bugera. No meu caso, como o uso é muito pouco (uso ele em casa, na estrada eu uso um handmade feito pela Tubeamps), creio que não terei problemas com a durabilidade. As principais queixas são quando à durabilidade das válvulas originais e superaquecimento dos fios que levam energia para placa do circuito.

    Quanto à Manutenção, todo valvulado possui praticamente os mesmos cuidados. Um técnico especializado em Marshall, também saberá consertar um Fender. O problema seria somente quanto à peças de reposição. Um transformador Meteoro, certamente será mais fácil de encontrar que o do Bugera.

    Então é isto, acho que o ideal seria testar ambos e fazer uma comparação, pois tanto V55HD, quanto MGV30 estão de olho na mesma fatia do mercado.

    Atenciosamente,


    Elvis Almeida

    ResponderExcluir
  23. A pouco tempo me dei o luxo de comprar um v55hd com um 212V-BK.

    Devo admitir que tenho um certo medo da durabilidade, mesmo tocando apenas em casa, ou alguma gig, vez ou outra no ano.

    Antes de comprar procurei informações, e achei interessante um comentário que tive de um "endorser" da behinger que comentou algo interessante sobre o problema em "válvulas". Ele comentou que a bugera tem uma má fama por conta de um defeito de fabricação de uma outra série mais antiga e que o tal problema tinha sido reparado nos modelos posteriores.

    Mesmo assim achei muitos comentários sobre esse problema de válvulas, maioria entre brasileiros, poucos "gringos" reclamaram sobre esse problema.
    Entretanto, também achei bons comentários sobre, e dezenas de "not problem at all" entre conhecidos americanos, cujo um deles toca numa banda de ska no estilo ny ska jazz ensemble, que inclusive falou sentir segurança com o amplificador e o usa constantemente.

    Acredito que parte do problema está na qualidade de nossa energia e temperatura ambiente.

    enfim... Acredito que com uma ventilação ( um pequeno ventilador ) e um bom isolador/estabilizador de linha, vou está reduzindo e muito as chances de problemas... ou estou errado?

    ResponderExcluir
  24. Obrigado por participar Virtz.

    Realmente a questão da energia é fundamental para o bom funcionamento de um amplificador valvulado.

    A questão do calor não deveria ser um problema, pois as válvulas, "fritam" mesmo. Creio que o problema com o conector de fios (do tipo utilizado em PC) esteja subdimensionado às exigências do amp. Mas isso é uma suposição, baseada nos relatos de terceiros, já que no meu caso não enfrento nenhum problema com o amp.

    Um abraço.

    Elvis Almeida

    ResponderExcluir
  25. Aê man,
    Recebi a 2 semanas meu head. ( naquela época ainda não tinha recebido, Chegaram impecáveis e lindíssimos ) O head realmente é enorme e pesado. o mesmo peso da caixa dos falantes ( 2x12 da bugera mesmo )

    Eu fiz o teste com o amp, e tudo ok.
    Ando usando ele com bastante cuidado por causa dessa história toda sobre o super aquecimento, que é famosa com os bugera.

    Percebi coisas interessantes. a principal delas é que uma ventoinha, ou ventilador, ajuda e MUITO no super aquecimento, mto mesmo.

    A temperatura ambiente também influencia mesmoque pouco, nos momentos de temperatura mais amena do dia o head demora mais para passar calor ao toque.

    Um conhecido meu de uma loja, me falou que há uma diferença de aquecimento mesmo na alimentação 110 x 220, mas não sei se realmente é verdade ou não. Falei com ele quando fui comprar o cabo para ligar o cabeçote nos falantes. Eu já sabia que dava problema o uso de cabos comuns no amp, mas não sabia qual o problema, Parece que até isso super aquece eles.



    Eu considero o V55hd relativamente bem versátil, dá pra puxar, até certo ponto, um timbre bem mais pesado dele. Ele atendeu perfeitamente o que eu esperava, e além disso se adequou ao som da minha banda de forma além do que eu havia esperado. ( ando conseguindo timbres lindos, e como disse, até mesmo pesados e tudo isso com uma guitarra wildkat epiphone )

    abrçs a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela compra amigo. Que bom que está tão satisfeito quanto eu.

      Sobre o cabo da caixa, este é um tema importante que deve ser abordado sobre amplificadores Head (valvulados ou não).

      Muita gente usa cabos de áudio (guitarra, baixo... etc.) para ligar.

      Este é um erro que pode ser fatal para o amplificador e caixas.

      A saída do amplificador fornece grandes tensões e correntes, em escala logarítmica a medida em que se aumenta o volume (master).

      O cabo de guitarra foi projetado para transportar com o máximo de fidelidade alguns milivolts e miliamperes (tensão e corrente) provenientes do captador.

      Quando ligado na saída do cabeçote às caixas, ele irá funcionar como uma "resistência" de chuveiro, principalmente em altos volumes. Tanto ele pode queimar imediatamente como um fusível, quanto pode se aquecer e criar um resistência que irá descasar as impedâncias (saída do head e altofalante) proporcionando a queima das válvulas (ou transístores) de saída do amp, e em alguns casos até do falante.

      Portanto, use sempre os cabos fornecidos pelos fabricantes especificamente para isto.

      Caso sua caixa ou head não sejam vendidos com o cabo, é muito fácil fazer um. Basta utilizar um fio paralelo de energia elétrica que suporte em torno de 600V (Volts) e 10A (Amperes) dois pinos P10.

      Se usar daqueles encapados, fica com acabamento de primeira.

      Um abraço amigo, e obrigado por levantar este tópico.

      Elvis Almeida

      Excluir
  26. Olá, Elvis! Tudo bem?

    Esclarecedor seu post e os comentários da galera. PARABÉNS!

    Sempre toquei com amps transitors por falta de $$ e agora estou na cruel jornada de decidir qual valvulado comprar... Fiquei na dúvida: trocando as vávulas e resolvendo a questão dos conectores os problemas "desaparecem"? Sei que a pergunta não tem uma resposta definitiva, mas ninguém deu feedback nos comentários, né?

    Por um acaso você já testou um sansamp gt2 nele?

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Conrado, tudo blz?

      Já li alguns fóruns, onde alguns usuários fizeram a troca dos soquetes, valvulas e ligaram os cabos direto na placa e ficaram muito satisfeitos.

      Até o momento ainda não fiz nenhuma modificação no meu. Uso ele muito pouco, somente em gravações.

      O GT2 ainda não testei, mas já experimentei seus clones e fica muito legal.

      Se você está preocupado com durabilidade/resistência, considere comprar um handmade nacional, pois possuem ótimo custo-benefício.

      No meu dia-a-dia (ensaios e shows) eu uso um Black Cat Bone de 20W feito pela Tubeamps.

      Um abraço,

      Elvis Almeida

      Excluir
  27. comprei um combo v55 agora e estou esperando chegar. Ele é 220v. Vcs aconselham fazer logo alguma mudança nas válvulas ou na parte elétrica antes te tocar com ele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Camilo, tudo bem?

      Sua rede elétrica é 220V? Se for não tem que mexer em nada.

      Se sua rede elétrica é ruim, com oscilações e interferências, recomendo adquirir um Condicionador de Energia específico para áudio.

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir
    2. Elvis, estou com o amp e curti muito o som dele. Funcionou perfeitamente até semana passada, quando fui ligar e assim que liguei a chave do stand-by e o amp não ligou. O que poderia ser? Um problema de fuzível, ou algo mais sério?

      Excluir
    3. Pode ser o fusível, mas também pode ser algo mais sério. O ideal é enviar para a assistência técnica, ou um técnico em valvulados de sua confiança.

      Abraço.

      Elvis Almeida

      Excluir
  28. Salve...Elvis, vc poderia me dar uma dica de um valvulado nacional com potencia de 50 ou 100w ? tenho pensado em pegar um v55hd mas ando apreensivo com a questão da durabilidade,uma vez que utilizaria o amp com uma certa frequencia...ha sim,tenho vontade de pegar um valvulado head+cabinet com custo de até 4000...aguardo a dica...obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo, a versão mais nova (com LED laranja) está bem melhor que as antigas no quesito durabilidade.

      Se mesmo assim, você tiver preferência por um nacional, nesta faixa de potência que você deseja talvez seja melhor comprar um amp handmade.

      Há inúmeros handmakers que realizam um ótimo trabalho, tais como Pedrone, Acedo, Tubeamps... etc.

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir
  29. Oi Elvis, valeu pela dica. Sua última resposta até tem a ver com o q eu vou perguntar; Meu amp v55 chegou, testei e adorei o som dele, tanto no clean quanto no drive, que achei ideal para a proposta do amp. Só que no manual fala sobre uma luz azul e você agora falou que o led é laranja. Todos estão com o led laranja ou alguns ainda vêm com ela azul? Por que já estava achando que isso poderia indicar algum sinal quanto à energia elétrica. Outra coisa: O amp é 110 e eu usei um trafo de 300va, isso pode danificá-lo? O que você me indica usar além desse trafo para não correr riscos no uso do amp? Obrigado cara!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando falo de luz laranja, me refiro ao LED indicador do amp ligado.

      Nas primeiras versões do Bugera, eram azuis... nas últimas já são laranja.

      Quanto ao trafo, creio que irá suportar. Fique de olho se há aquecimento no trafo ou no cabo de energia... se for muito, pode indicar a necessidade de um trafo maior.

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir
    2. Elvis,
      comprei um Bugera V55 com led laranja, ja faz 6 meses, gostaria de saber se a coloração laranja suave com as laterais azuladas nas válvulas 6L6 indicam que ele está com o BIAS regulado?

      Excluir
    3. Olá Mário, tudo bem?
      Por descrição assim, é complicado falar se a cor está normal. O tom levemente laranja com uma espécie de auréola azul é normal para válvulas 6L6.
      A regulagem do BIAS do Bugera é muito simples, pois tem um acesso externo sem precisar abrir o amp e sem risco de choque elétrico.
      Se você tiver um multímetro, você mesmo pode conferir o BIAS e ver se está normal.
      Até mais.
      Elvis Almeida

      Excluir
    4. Oi Elvis, depois de 2 anos de uso, semana passada o amp não ligou. Parou de funcionar de uma hora pra outra. O que poderia ser? Um fuzível, ou pode ser algo mais sério?

      Excluir
  30. Oi pessoal! Vocês saberiam me dizer qual é a regulagem (tensão em volts) ideal para válvulas EHX 6l6GC (Electro Harmonix)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja as tensões corretas do BIAS no seguinte link (copie e cole no navegador):

      http://www.behringerdownload.de/_Bugera/manuals/ValveBiasInstruction/BUGERA_ValveBiasInstruction_2008-09-10_Rev.1.pdf

      Sobre o ajuste de fábrica ser confiável ou não, acredito que sim. Creio que você deu azar, pois o meu amp funciona perfeitamente há cerca de 1 ano. Não troquei nenhuma válvula ainda.

      Espero ter ajudado.

      Um abraço.

      Excluir
    2. Elvis Almeida

      Já se passaram uns anos do post e gostaria de saber sobre a durabilidade do Bugera.

      Agradeço desde já

      Excluir
    3. Fiquei com este amplificador por 2 anos sem problemas. Depois vendi para um amigo meu que usou ele também por quase 2 anos sem aborrecimentos. Recentemente ele deu defeito no sistema de chaveamento dos canais. Agora ele não fica mais no canal de drive. Depois de alguns segundos ele volta sozinho para o Clean.

      Atensiosamente,

      Elvis Almeida
      http://www.elvisalmeida.com
      http://www.centraldaguitarra.com
      http://www.learngreekmodes.com

      Excluir
  31. Opa Elvis Almeida beleza ?
    estou pretendendo comprar um BugeraV55hd
    bom, já vejo que você teve o amp a algum tempo, como ta o estado dele ? funfando bem ainda ??
    bom outra duvida, questão de tocar com ele a palco, vejo que muita gente compra e fica tocando em casa, quanto tempo posso tocar com ele direto ? abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vendi e depois de 1 ano e meio ele deu problema com o novo usuário. O circuito de acionamento do footswich foi pro saco. Só funciona no clean agora.

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir
  32. Parabéns pelo post Elvis Almeida.


    Galera, sei que não é o amplificador em questão, mas tive problemas com meu Bugera 333 (comprei-o usado mas usado por pouquíssimo tempo). O fusível queimou e na hora de trocar vi que já não estava com fusíveis cerâmicos. No lugar tinha um fusível de vidro 2A. Comprei fusível de vidro 2A para substituir mas agora estou com receio de que essa não seja a amperagem certa já que estava trocado.
    Tirei o fusível do meu outro amp o 6262 e nele estava um de 3A. Isso me fez ficar com essa dúvida.
    Saberiam confirmar se é mesmo 2A para o 333? E até mesmo o 6262 seria mesmo o 3A?

    Forte abraço

    ResponderExcluir
  33. Olha é só conferir no manual do amplificador... você encontra ele fácil na internet.

    Mas usar um fusível com de menor "amperagem" não é o problema, o máximo que pode acontecer é ele queimar de novo por não aguentar a corrente. Já o contrário nunca deve ser feito. Se o equipamento usa 2A, nunca coloque um fusível de 3A.

    Atenciosamente,

    Elvis Almeida
    http://www.elvisalmeida.com
    http://www.centraldaguitarra.com
    http://www.learngreekmodes.com

    ResponderExcluir
  34. Ola Elvis. Eu gostaria da saber quantos ohms devoeusar em uma caixa com 2x12 e 4x12 sendo os falantes de 8 ohms?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele tem saída de 4, 8 e 16 ohms, o que permite usar com diversos tipos de caixa. A impedância final de sua caixa vai depender de como você irá associar os falantes (série, paralelo ou série-paralelo).

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Featured Posts

TV Central do Rock

Uma TV diferente e irreverente. Fique antenado com o que acontece no underground do Rock, bastidores, bandas, shows e eventos independentes.

Notícias

Fique de olho em nossas notícias sobre o mundo Rock. Não deixe de assinar nossos feeds e seguir nossos canais no Facebook e Twitter.

Reviews

Se você é músico, especialmente guitarrista, temos muitos reviews e artigos sobre pedais, amplificadores e guitarras.

Bandas

Entrevistas, releases, shows... etc. Entre em contato e divulgue sua banda também.

 

Opinião

As colunas e artigos deste portal expressam a opinião de seus autores e não necessariamente da Central do Rock.

Copyright

Copyright 2009-2013. Central do Rock (www.centraldorock.com.br). Todos os direitos autorais reservados.

Política de Privacidade

A Central do Rock respeita sua privacidade e seus dados pessoais. Em caso de dúvidas leia atentamente nossa Política de Privacidade.